Primeira viagem ao Peru: Aclimatação em Cusco e Machu Picchu

Cusco e Machu Picchu estão no topo da lista de todos os viajantes apaixonados pela América do Sul. As maravilhosas ruínas arqueológicas e a altitude local são literalmente de tirar o fôlego! Para aproveitar bem a viagem, a dica é fazer uma boa aclimatação.

City Tour em Cusco

Como fazer uma boa Aclimatação?

A aclimatação é o processo de adaptação às alterações naturais como, por exemplo, a altitude. Fazer uma boa aclimatação em Cusco e Machu Picchu é essencial para conseguir aproveitar a viagem.

Cusco e Machu Picchu estão localizados em uma região muito acima do nível do mar (3.399 m e 2.430 m, respectivamente), o que torna o ar rarefeito e dificulta a respiração.

Por causa da altitude, muitas pessoas têm problemas e acabam sofrendo com o soroche, o mal de altura.

Montanha Huayna Picchu
Quando a altitude já tá no máximo mas você resolve subir mais ainda! Se preparem, Macchu Picchu e a Montanha Huayna Picchu exigem uma boa aclimatação.

Fiquei morrendo de medo do tal do soroche! Antes de viajar li vários relatos de pessoas que tiveram dores de cabeça, tontura e vômitos logo depois de chegar à Cusco. Imagina que deprê ficar passando mal e não conseguir curtir a viagem… No way!

Escapando do Soroche

Dá pra driblar o soroche antes mesmo de chegar à Cusco. Ainda no avião a caminho da cidade, comecei a mascar chiclete de folha de coca.

Acho que o danado realmente funcionou, ou apenas enganou o meu psicológico, porque eu não senti nenhum mal estar durante as horas seguintes a minha chegada.

E olha que tudo torceu contra: estava exausta e sem dormir há várias horas, o frio trincando e, pra fechar com chave de ouro, tive problemas com a minha bagagem. A pobre da minha mochila foi extraviada!

Ainda lutando contra o soroche, a primeira coisa que fiz quando cheguei ao meu hostel foi preparar um chá de folha de coca. Repetia esse ritual no café da manhã e toda vez que estava por lá.

Folhas de coca prontinhas para mascar ou para o preparo do chá (umpouquinhodecadalugar.com).
Chá de folha de coca

O chá de folha de coca é oferecido gratuitamente por todos os hotéis e hostels de Cusco. No hostel em que me hospedei, o Kokopelli Cusco (aliás, super recomendo!), o chá era oferecido 24 horas por dia.

Bastava colocar a quantidade de folha que você quisesse e sair pela cidade com o seu chazinho fumegante, um plus para quem visita no inverno. Eu não largava o meu!

Ah, também dá pra mascar as folhinhas de coca, vi alguns cusquenhos fazendo isso.

Caramelos de coca

Além de beber o chá ou mascar a folha, outra opção voltada para os turistas são os caramelos de coca.

Essas balinhas são vendidas em quase todas as esquinas da cidade. Elas são mais práticas do que o chá, dá pra colocar na bolsa ou bolso e levar on the go!

Acho que o vício no chá de coca e o fato de morar em Brasília (1.172 metros acima do nível do mar) influenciaram bastante no meu processo de aclimatação.

Mas, pra não dizer que eu fui ninja e não senti nadinha, no primeiro dia tive uma leve dor de cabeça e, quando subia alguns degraus (tipo dois! haha), o ar faltava um pouco. Nada que uma breve paradinha para apreciar a vista não resolvesse o problema.

Soroche Pills

Se vocês forem mais sensíveis e nenhum chazinho ou balinha estiver dando conta do recado, a dica é ir atrás do “Soroche Pills”, remédio vendido em qualquer farmácia local.



Refeições leves

Outro detalhe importante enquanto estamos nos acostumando com a altitude da cidade é não exagerar nas refeições.

Aparentemente eu não sei o que isso significa (risos). Como minha mãe sempre diz, sou boca doce, boa de garfo, etc. Aprecio uma comidinha gostosa, ainda mais quando a culinária é diferente.

No primeiro dia, enquanto todo mundo indicou comer sopa, caldo ou algo bem leve, lá vai a Marcela comer carne de alpaca!

Foi mal, barriga, mas eu queria começar a experimentar o país e decidi não esperar nem mais um segundo. Foi arriscado, mas ainda bem que não deu ruim!

Baixo esforço físico

Pelo menos uma coisa eu fiz certo: no primeiro dia não exagerei no sobe e desce de degraus. É importante não exagerar no esforço físico enquanto estamos nos acostumado com a altitude local.

Aproveitem o primeiro dia em Cusco para se familiarizar com a cidade, caminhar pelas principais ruas, trocar dinheiro e comprar o ingresso dos passeios, o Boleto Turístico de Cusco.

Não vão se empolgar demais! Vocês ainda estão se acostumando e, se exagerarem, sofrerão as consequências!

Nem pensem em subir ladeiras e escadarias durante o primeiro dia de viagem. Eu só fui ali tirar a foto e voltei : )

Todos aclimatados? Agora é hora de começar os passeios por Cusco e arredores!

No meu Roteiro de Sete dias em Cusco e Machu Picchu dividi a viagem entre Cusco, Valle Sagrado, Águas Calientes, Machu Picchu e Cusco novamente.

Reparem que deixei a atração principal e mais desgastante para o final e, gradualmente, fui fazendo passeios mais exigentes.

Desse jeito dá pra ir se acostumando aos poucos com a diferença de altitude e conseguir fazer todos os passeios tranquilamente, ou melhor, sem ficar muuito ofegante!


Está planejando sua viagem ao Peru?
Confira o meu Roteiro de 7 dias em Cusco e Machu Picchu:

Dia 01 –Aclimatação na Plaza de Armas + Câmbio de Dinheiro e Compra do Boleto Turístico de Cusco

Dia 02 – Tour a cavalo com a Horseback Riding Cusco + Tarde em Cusco

Dia 03 – Conhecendo o Mercado de San Pedro e outros Centros Artesanais

Dia 04 – Passeio à Pisac (Valle Sagrado dos Incas) na parte da manhã + City Tour de Cusco à tarde

Dia 05 – Manhã e tarde visitando o Valle Sagrado dos Incas + Viagem de trem para Águas Calientes

Dia 06 – Subindo a Montanha Huayna Picchu + Visita às ruínas de Machu Picchu + Noite em Cusco

Dia 07 – Dia livre em Cusco + Aeroporto




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *