Peru: 10 Dicas sobre Machu Picchu e Cusco

Só descobrimos se o roteiro planejado vai funcionar depois de colocar o pé na estrada, não é mesmo? O papel aceita tudo, mas basta a viagem começar para os contratempos aparecerem. Deixo aqui preciosas dicas para fazer uma viagem tranquila e com menos dor de cabeça possível.

Subindo Huayna Picchu

1) No aeroporto, pegue um táxi que aceite dólares como pagamento

Trocar dinheiro em aeroportos é a pior coisa a se fazer, o câmbio nunca é bom e a gente sempre sai perdendo. Pra evitar isso, procure pegar ou agendar um táxi que aceite dólares como forma de pagamento.

Um amigo peruano me indicou a empresa Llama Taxis. Por telefone, ele mesmo entrou em contato com a empresa, agendou a corrida e combinou o preço.

Quando cheguei ao aeroporto de Cusco o taxista estava me esperando com meu nome escrito em uma plaquinha. Coisa de filme, gente!

Me senti a pessoa mais importante do aeroporto! Entrei no táxi e logo chegamos ao meu hostel, localizado no centro de Cusco. Em seguida paguei o valor acordado, U$5,00.

Agora, caso prefiram trocar dinheiro no aeroporto e pagar a corrida usando soles, a dica é pechinchar! Em Cusco os táxis não tem taxímetro, o valor cobrado é sempre combinado anteriormente.

O preço da corrida do aeroporto até o centro da cidade varia de taxista para taxista, podendo custar de 10 a 25 soles (ou mais).

Eles sempre querem cobrar valores altos de quem está chegando à cidade, fiquem espertos! Pechinchem e depois pechinchem um pouco mais! Uma hora o preço fica bom pra todos.

Para quem interessar, deixo o contato da Llama Taxis / Taxi Turismo Cusco: WhatsApp +51 999 245 000, endereço Av. De la Cultura, 210 Cusco. Infelizmente eles ainda não trabalham com site próprio ou e-mail, apenas com WhatsApp.



2) Aclimatação – Aproveite o primeiro dia para se acostumar com a altitude local

Cusco está localizado a 3.399 metros acima do nível do mar. A título de curiosidade, Brasília está a 1.172 metros e o Rio de Janeiro está a 2 metros acima do nível do mar.

Quando nos deslocamos de um lugar com baixa altitude para outro com alta altitude, especialmente de avião, é muito comum sentirmos o mal estar físico chamado de soroche, o mal de altura.

Todos que pretendem visitar Cusco e Machu Picchu já leram alguma coisa sobre o soroche. Se preocupar com o soroche não é exagero, muitas pessoas passam mal ao chegar à cidade de Cusco e isso pode prejudicar bastante a viagem.

Como evitar ou tentar diminuir o soroche? Eu mesma não tive problemas com a altitude, pude aproveitar tranquilamente a viagem. Nesse post aqui dou dicas de como fazer uma boa aclimatação, fugir do soroche e curtir a viagem!

3) Organize os passeios na ordem correta

Escolher a ordem certa dos passeios é muito importante na hora de montar o seu roteiro.

Digo isso por dois motivos principais: a aclimatação e o crescente deslumbramento com as ruínas arqueológicas. Cada sítio arqueológico tem a sua beleza e história, mas alguns têm maior presença e nos impressionam mais do que outros.

Em minha opinião, explore no início da viagem as ruelas de Cusco, passeie pela Plaza de Armas e faça o City Tour em Cusco.

O ideal é deixar os passeios mais majestosos e cansativos, como por exemplo, o Valle Sagrado dos Incas, as ruínas de Machu Picchu Montanha Huayna Picchue para o final da viagem.

Saqsayhuaman
Sacsayhuaman é uma das ruínas arqueológicas visitadas durante o City Tour de Cusco. A grandiosidade de suas construções é impressionante!

Assim você se encantará progressivamente com todos os lugares visitados, do mais simples ao mais grandioso, e também estará muito bem aclimatado quando for subir as ruínas de Machu Picchu ou a jovem Montanha Huayna Picchu. Acredite, vai que dá, eu fui!

Pisac
Os enormes terraços agrícolas de Pisac – O melhor grão de milho produzido em todo o Valle Sagrado foi cultivado no Sítio Arqueológico de Pisac.

4) Se for subir a Montanha Huayna Picchu, compre os ingressos com bastante antecedência

Apenas 400 pessoas por dia tem autorização para fazer a trilha da Montanha Huayna Picchu. Por causa disso, os ingressos esgotam muito rápido!

A compra antecipada é fundamental e deve ser feita com bastante antecedência (cerca de dois meses ou mais, vai depender da temporada).

Pra vocês terem uma noção, acessei o Site Oficial do Ministério da Cultura Peruano um mês e meio antes da minha viagem e quase não tinha mais ingresso, restavam apenas 22 ingressos disponíveis!

Pra ninguém ficar de fora desse passeio imperdível, garanta o ingresso o mais cedo possível. Subi a Montanha Huayna Picchu em maio de 2016 e AMEI a aventura!

Subindo Montanha Huayna Picchu
Subir a Huayna Picchu é uma experiência de tirar o fôlego! A vista lá de cima é maravilhosa!

5) Deixe para comprar lembrancinhas e presentes no Centro Artesanal de Cusco

Cusco é cheio de lojas e pequenas galerias de artesanato, mas onde encontrar os melhores preços? A resposta é: no Centro Artesanal de Cusco.

Por ficar um pouquinho distante do aglomerado turístico, o Centro Artesanal de Cusco tem produtos com valores inferiores aos encontrados no centro da cidade, no Mercado de San Pedro e no Mercado de Pisac.

São várias as lojinhas vendendo tecidos e agasalhos peruanos, pinturas em papel, joias, artesanato, pedras energéticas, bolsas, mochilas, lhamas de todos os tamanhos, espelhos em madeira, etc. As opções são infinitas, basta escolher!



6) Durma em Aguas Calientes um dia antes da visita à Machu Picchu

Aguas Calientes ou Machu Picchu Pueblo é a cidade mais próxima das ruínas de Machu Picchu. Escolher dormir por lá é a melhor opção para quem precisa chegar bem cedinho em Machu Picchu.

Geralmente os madrugadores são aqueles que querem ver o nascer do sol ou precisam dar entrada na montanha Huayna Picchu, como foi o meu caso.

Aguas Calientes é um charme e merece mais do que apenas uma breve passada, vale muito a pena dormir uma noite na cidade e conhecê-la um pouco melhor.

7) Compre a passagem de trem para Aguas Calientes com antecedência

Quem decide ir para Aguas Calientes de trem deve se atentar a uma coisa: a disponibilidade das passagens.

Em Cusco existem apenas duas operadoras de trem, a PeruRail e a Inca Rail. Ambas ficam localizadas na Plaza de Armas e têm mais ou menos as mesmas ofertas de horários e preços.

Por causa da baixa disponibilidade de acentos, a dica é comprar as passagens de trem com antecedência, ainda mais se a viagem for durante a alta temporada.

A viagem de trem para Aguas Calientes é muito agradável. Praticamente todo o caminho é cercado por montanhas e pelo rio Urubamba.

Fui à Cusco em maio de 2016 e, com dois dias de antecedência à viagem de trem, comprei minhas passagens no escritório da PeruRail.

Não consegui comprar o trecho de ida no horário desejado (à noite), pois os acentos estavam esgotados tanto na PeruRail quanto na Inca Rail. Em ambas havia disponibilidade apenas no trem das 15h.

Isso atrapalhou um pouco a logística do passeio feito no mesmo dia, o tour do Valle Sagrado dos Incas.

Para evitar contratempos, garanta as passagens de ida e volta o quanto antes: compre as passagens assim que chegar à Cusco ou antecipadamente via internet.

8) Leve pouca coisa quando for dormir em Aguas Calientes

A maioria das pessoas que vai à cidade de Aguas Calientes dorme apenas uma noite no local, aproveitando o dia seguinte para visitar Machu Picchu e depois pegar o trem de volta à Ollantaytambo.

Como a estadia é bem curta, ao invés de levar com você toda a sua bagagem pesada, indico separar apenas uma ou duas mudas de roupa e alguns produtos de higiene pessoal.

Carregando pouca coisa, o desgaste físico será bem menor enquanto caminhado pelas ruas cheias de descidas e subidas de Ollanta e de Aguas Calientes.

Não me atentei a esse detalhe e acabei carregando a minha pesada mochila por todo lado. Foi bem cansativo e desnecessário, me arrependi o trajeto inteiro!

A maioria das hospedagens oferece o serviço de guarda volumes gratuitamente, faço bom uso: deixe sua bagagem no depósito do hostel ou hotel e siga por aí lindx leve e soltx! Enfim, vivendo e aprendendo…

Aguas Calientes
Foto de como NÃO fazer! Pois é, a “dunga burrice” foi grande e levamos à Aguas Calientes tudo o que tínhamos direito. Não repitam o erro, levem o suficiente apenas para passar o dia.

9) Nos restaurantes, peça o Menu Turístico

O “Menu Turístico” é a melhor pedida para quem quer comer bem e pagar pouco. Praticamente todos os restaurantes de Cusco tem o “Menu Turístico” em seu cardápio: do restaurante mais caro ao mais econômico.

Geralmente o Menu custa 30 soles e inclui entrada, prato principal, sobremesa e bebida. Não é super em conta? Dá pra experimentar todos os pratos típicos peruanos através do Menu.

Só uma dica: não peça a limonada! A limonada inclusa no Menu é água com lembrança de limão. Sério, não caia nessa! De resto, tudo é muito gostoso e bem servido. Aqui dou algumas dicas sobre onde comer em Cusco.



10) Cuidado com o Pisco!

Ir pro Peru e não experimentar pisco é como ir ao Brasil e não tomar uns goles de caipirinha. Não dá, gente! O drink é muito gostoso e tem diversas variações de sabores. Eu adorei o feito com maracujá, fica a dica!

Mas nem tudo são flores, um dos ingredientes do pisco é a clara de ovo, clara de ovo cru. Todo mundo sabe que o ovo cru e a bactéria salmonela andam de mãos dadas, então todo cuidado é pouco.

Escolha beber esse drink delícia em lugares com boas condições sanitárias. Senão vai dar ruim e, ao invés de visitar as ruínas de Cusco, você vai visitar o trono do seu hotel! Piadinha bosta, né? Ops, I did it again!


Está planejando sua viagem ao Peru?
Confira o meu Roteiro de 7 dias em Cusco e Machu Picchu:

Dia 01 –Aclimatação na Plaza de Armas + Câmbio de Dinheiro e Compra do Boleto Turístico de Cusco

Dia 02 – Tour a cavalo com a Horseback Riding Cusco + Tarde em Cusco

Dia 03 – Conhecendo o Mercado de San Pedro e outros Centros Artesanais

Dia 04 – Passeio à Pisac (Valle Sagrado dos Incas) na parte da manhã + City Tour de Cusco à tarde

Dia 05 – Manhã e tarde visitando o Valle Sagrado dos Incas + Viagem de trem para Águas Calientes

Dia 06 – Subindo a Montanha Huayna Picchu + Visita às ruínas de Machu Picchu + Noite em Cusco

Dia 07 – Dia livre em Cusco




4 pensamentos em “Peru: 10 Dicas sobre Machu Picchu e Cusco”

  1. Olá pessoal!!
    Qual é a melhor época para visitar Machu Picchu?
    É recomendável viajar a Machu Picchu e ao Peru de abril até novembro (época seca), o turismo no Peru é tudo o ano, mas o turismo é reduzido um pouco por causa das chuvas que é de dezembro até quase o final de março.
    Aconselhamos viajar no mês de junho por causa das festas folclóricas e pelo acontecimento da grandiosa Festa do Sol- Inti Raymi. (24 de Junho)
    Quem vai a Machu Picchu não pode deixar de subir para Huayna Picchu que é uma pequena trilha feita dentro da cidadela inca de Machu Picchu.
    – É bom dormir uma noite em Águas Calientes para subir a Machu Picchu ao dia seguinte bem mais cedo e assim visualizar a saída do sol.
    – Compre as entradas com antecedência, porque as vagas esgotam rápido na temporada alta.

    1. Exatamente, Ricardo! A melhor época para conhecer Machu Picchu é durante a seca. Passei 7 dias em Cusco e Machu Picchu no mês de maio e peguei dias ensolarados e vegetação verdinha.

      Essa dica da montanha Huayna Picchu é ótima! Além de visitar as ruínas de Machu Picchu, também subi a jovem montanha Huayna Picchu. Subir a montanha foi uma aventura e tanto! Tenho que discordar de você sobre o tamanho da trilha. A trilha até o topo da montanha não é pequena, na verdade muitos a consideram difícil por causa da altitude e do soroche (problema sério em Cusco e MP). Eu subi a montanha Huayna Picchu com mais 3 amigas e, apesar de ser um pouco cansativo, recomendo pra todo mundo. A vista lá de cima é impagável! Quem saber o que esperar da trilha? Conto a aventura em detalhes nesse post.
      Dou mais dicas sobre Machu Picchu e Cusco nesse outro post: O que fazer em Cusco e arredores? Confira 10 passeios imperdíveis!.

  2. adorei suas dicas boas informações !
    Aqui alguns pontos turisticos do Peru.
    Peru é muito grande com muitas alternativas para escolher, não há dúvida de que o atrativo mais importante no Peru é a visita a Machu Picchu, também não podemos deixar de visitar tanto Cusco e Vale Sagrado.Visitar Arequipa também vale a pena pelo seu valor arquitetônico e calor da cidade. Ir para as Ilhas Ballestas e apreciar a vida marinha, apreciar também as Linhas de Nazca. Passear por Lima e desfrutar da gostosa comida peruana.
    Estes são algumas das atrações a comentar, há muitos mais que o Peru tem para oferecer.

    1. Obrigada pelas dicas, Juan! Você vai me desculpar o trocadilho, mas realmente o Peru é muito grande! hehe Na minha primeira ida ao país tinha apenas 7 dias de viagem, por isso preferi conhecer Cusco e Machu Picchu. Durante a estadia fiz o City Tour em Cusco, visitei as ruínas do Valle Sagrado, andei a cavalo pelo Templo da Lua, conheci o Mercado de San Pedro e vários outros mercados artesanais, subi a montanha Huayna Pichu, andei de trem de Ollantaytambo à Aguas Calientes e bebi muito pisco!

      Arequipa, Lago Titicaca, as incríveis Linhas de Nazca e muitos outros lugares lindos ficarão para a próxima viagem. Com certeza voltarei ao Peru!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *