O Que Fazer em Santiago e seus Arredores? Confira 15 Atividades Imperdíveis!

Vai passar alguns dias na capital Chilena? Saiba o que fazer em Santiago no verão ou inverno e comece a planejar a sua viagem agora!


Santiago

Santiago é uma das capitais mais visitadas na América do Sul. A cidade é super limpa, charmosa e repleta de atividades interessantes. Fica até difícil de saber por onde começar – O que fazer em Santiago e arredores?

1) Assistir à Troca de Guarda no Palácio de La Moneda

Localizado no centro de Santiago, o Palácio de La Moneda é a sede da Presidência da República do Chile. Do lado de fora do palácio acontece quase todos os dias a cerimônia do cambio de la guardia.

Plácio de La Moneda Troca da Guarda

 

O cambio de la guardia ou a troca de guarda foi estabelecida pelo presidente Manuel Bulnes em 1851 e desde então a imponente cerimônia se tornou tradição.

A troca é praticada fielmente a cada dois dias às 10h e tem cerca de 30 minutos de duração. A dica é chegar um pouquinho mais cedo para garantir uma boa vista. Confira a programação mensal da troca da guarda.

Depois da cerimônia, aproveitem a visita para ir ao Centro Cultural de La Moneda, tem várias exposições interessantes no local.



2) Visitar uma das Casas do poeta chileno Pablo Neruda

Pablo Neruda foi um dos mais importantes poetas da língua castelhana. Dois anos antes de falecer recebeu o prêmio Nobel de Literatura (1971).

Pablo possuía três casas no Chile: La Chascona em Santiago, La Sebastiana em Valparaíso e, por fim, a casa considerada a mais bonita de todas, Isla Negra em El Quisco.

La Chascona

Por causa da duração da viagem, conheci apenas a casa localizada em Santiago, a Casa-Museu La Chascona. La Chascona ou “A Descabelada” foi construída em 1953 em homenagem à amante de Pablo, a ruiva Matilde.

Os passeios guiados são enriquecedoras aulas de história chilena. É imperdível conhecer pelo menos uma das casas de Pablo Neruda!

Quer saber o que fazer em Cusco e arredores? Confira 10 passeios imperdíveis!

3) Degustar Vinho de Vinícolas Próximas à Santiago

Não é de hoje que ouvimos falar (e muito bem!) dos vinhos chilenos. É praticamente obrigatório conhecer pelo menos uma vinícola quando se vai ao Chile.

Perto do centro de Santiago tem algumas opções: Concha y Toro (6 km) e Cousiño Macul (11km). Por ficar muito perto do centro e ser uma das vinícolas mais conhecidas, a Concha y Toro acaba recebendo a grande maioria dos visitantes.

Concha y Toro
Degustação de vinho branco durante a visita à vinícola Concha y Toro.

Em minha opinião, vale a pena ir um pouquinho mais distante para conhecer uma vinícola menos tecnificada e mais charmosa. Alguns quilômetros mais adiante estão o crème de la crème das vinícolas chilenas: Almaviva, Don Melchor, Chadwick, Tarapaca e Undurraga.

Para os apaixonados por vinho indico a leitura do Roteiro dos Vinhos Chilenos. Lá tem várias informações sobre praticamente todas as vinícolas chilenas.

4) Conhecer as Vizinhas Viña del Mar e Valparaíso

Do ladinho de Santiago estão as graciosas comunas de Viña del Mar e Valparaíso. Viña é a irmã elegante e chique e Valpo é a boêmia, colorida e com mais personalidade.

Viña del Mar
Vista do Píer Muelle Vergara e da orla de Viña del Mar – A comuna é repleta de prédios enormes.
Valparaíso Chile
Valpo é uma explosão de cores e charme! Foi um dos meus lugares preferidos no Chile. Tem como não se apaixonar por essas casinhas?
Valparaíso Chile
É muito fácil se perder nos corredores coloridos de Valpo. Mas não por muito tempo, sempre tem um perrito carinhoso por perto.

De Santiago dá pra ir até Viña de carro, ônibus ou contratando uma agência de turismo. Tem ônibus saindo de 15 em 15 minutos de Santiago em direção a Viña del Mar. O trecho da viagem dura pouco mais de 1h:30min. Uma vez em Viña é super fácil se locomover de ônibus até Valpo.

A maioria das pessoas escolhe sair bem cedinho de Santiago e visitar as duas comunas em um dia só, voltando à noite para Santiago. O bate e volta é a melhor opção para quem não tem muito tempo de viagem.

Mas, se tem um diazinho sobrando, durma em Valpo e aproveite para desbravar os cerros e elevadores da região. Vale muito a pena!

Valparaíso Chile
Aquele vizinho fuxiqueiro só observando o movimento em Valpo. Tô quase fazendo um post só sobre Valpo pra poder postar quantas fotos quiser!
5) Visitar os Vários Museus da Cidade

Santiago é um paraíso para os amantes de museus. Tem praticamente um museu em cada bairro: Museo Nacional de Bellas Artes, Museo de Artes Visuales, Museo Nacional de História Natural, Museo de Arte Contemporáneo (MAC), Museo Histórico Nacional, Casa-Museo La Chascona, Museo de Arqueología e História Francisco Fonck (Viña del Mar), Museo Marítmo Nacional de Chile (Valparaíso), Museo Chileno de Arte Precolombino e mais.

MAC Museo de Arte Comtemporáneo
Exposição no Museo de Arte Comtemporáneo
Museo Chileno de Arte Precolombino
Cerâmicas no Museo Chileno de Arte Precolombino

De segunda a sábado a maioria dos museus cobra entrada ou uma pequena contribuição (estudante paga meia). Aos domingos as entradas são gratuitas.



6) Subir o Cerro San Cristóbal de Bondinho e Descer a Pé

Em Santiago existem duas grandes colinas que cortam a cidade, o Cerro San Cristóbal e o Cerro Santa Lúcia. Quando fui à Santiago visitei os dois, mas se o tempo na cidade estiver curto, dê preferência ao Cerro San Cristóbal. A vista de lá é incrível, Santiago fica minúscula!

Cerro san Cristóbal
No dia em que subi o Cerro San Cristóbal não dei muita sorte. Tinha muita partícula de poeira no ar e isso atrapalhou um pouco a vista.

O Cerro San Cristóbal é o maior deles e está localizado dentro do Parque Metropolitano de Santiago. A forma mais comum de acessar o topo do Cerro é através do funicular ou bondinho, mas também é possível chegar até lá de carro, bicicleta ou a pé.

Pra subir de funicular é preciso enfrentar uma fila, mas vale a pena, a experiência é bem legal! Antes de chegar ao topo do Cerro, o funicular faz uma parada no Zoológico Nacional, o zoo de Santiago. Quem quiser desce, quem não quiser continua a subida no bondinho.

No alto do Cerro somos premiados com uma vista lindíssima! Lá de cima é possível ver toda Santiago e parte da Cordilheira dos Andes (coberta de neve quando inverno).

A melhor parte em subir o Cerro foi descê-lo a pé! O passeio não é rápido, levei cerca de 1 hora. Mas a vista do caminho vale todo minutinho!

Cerro San Cristóbal
Se é que é possível, a vista da cidade parece melhorar durante a descida a pé. Olhem o tamanho do Costanera Center, o maior prédio da América Latina.
Cerro San Cristóbal
Não é só a vista lá de cima que é linda, todo o caminho da descida é cheio de flores e muito verde!
7) Fazer o Tour Gratuito pelo Centro Histórico de Santiago

Dá pra conhecer muita coisa do Centro Histórico de Santiago a pé e sem gastar um tostão, basta visitar os pontos turísticos por conta própria ou se juntar a um passeio guiado, os walking tours.

Catedral de Santiago

O Free Walking Tour of Santiago faz passeios em inglês diariamente às 10h e às 15h. Não precisa fazer reserva, é só aparecer em frente à Catedral de Santiago no horário de preferência e procurar o guia com a camiseta vermelha free tours.

O passeio tem mais de 3 horas de duração, então se programem direitinho!

Pensando em ir pra outra cidade Sul-Americana famosa? Confira 10 Dicas sobre Machu Picchu e Cusco!

8) Bate e volta para Embalse el Yeso e Termas del Plomo

A pouco mais de uma hora de Santiago está a zona do Cajón del Maipo, uma área com muita beleza natural e super convidativa para os viajantes aventureiros.

Dentro da lista de lugares da região, o mais comumente explorado é a represa Embalse el Yeso.

Embalse el Yeso
A paisagem cênica do caminho até a represa é lindíssima (asaspraquetequero.com).

A Carla do Asas Pra Que Te Quero escreveu um relato bem legal sobre como ir De Carro até Embalse el Yeso e Termas de Plomo – Confira!

9) Tomar Muuuito Jugo de Frambuesa

Por incrível que pareça, essa é a dica que mais dou. Se tem uma coisa que não pode faltar em sua viagem ao Chile, essa coisa é o jugo de frambuesa!

Eu viciei! Você vai entender meu vício depois de experimentar pela primeira vez esse delicioso suco de fruta. Beba o máximo que conseguir (a loka)! Fora do Chile vai ser muito difícil encontrar um suco parecido. Acredite, procuro até hoje!



10) Se aventurar no Trekking Noturno em Santiago

Do árido Deserto do Atacama até a gelada Patagônia Chilena, o Chile é repleto de atividades voltadas para quem gosta de se aventurar ao ar livre e na natureza.

Mas nem todo mundo tem muito tempo de viagem para conhecer todos esses locais. Pensando nisso, o Trekking Noturno em Santiago é uma ótima alternativa para quem quer se aventurar nas trilhas chilenas sem sair da capital.

Trekking noturno santiago
A atividade noturna proporciona  uma experiência única e totalmente distinta (pellemagazine.cl).

O nível de dificuldade do passeio é de moderado a alto. São dois dias de duração percorrendo 17,5 quilômetros em uma altitude de 1.738 metros (essa altitude é fichinha pra quem já foi à Cusco ou se aventurou subindo a Montanha Huayna Picchu, no Peru).

O Trekking Noturno custa de 15.000 a 30.000 pesos por pessoa e inclui alimentação, guia experiente, entrada ao Parque Puente e fotos da aventura. Para mais informações, acesse o Facebook do Trekking Nucturno Santiago.

11) Esquiar na Cordilheira dos Andes (Valle Nevado, Farellones, La Parva e El Colorado)

Vai passar o inverno em Santiago? Então você não pode deixar de dar um pulinho na Cordilheira dos Andes! Foi nos Andes chilenos que esquiei e vi a neve pela primeira.

Farellones
Oh minha carinha de aligriiiia em ver a neve pela primeira vez!

Os principais centros de esqui da Cordilheira ficam bem perto da capital chilena (cerca de 50 km), mas por causa das estradas cheias de curvas e com pista simples o acesso é um pouco difícil e demorado.

Chegando lá tem opção para todos os gostos: desde centros mais rústicos, como por exemplo Farellones, a centros de esqui com padrão europeu, como o Valle Nevado.

A escolha do local vai depender do seu gosto e, principalmente, do seu bolso! As diárias e atividades no Valle Nevado são mais salgadas do que nos outros centros. Além disso, sua pista de esqui é mais indicada para pessoas com um nível razoável de experiência, leia-se “iniciantes sofrerão”!

Farellones
Por ser uma completa iniciante e pelo local ser mais econômico, fui a Farellones. Gente, só deu eu e o arco-íris nas pistas de Farellones! Quase levei um tombo uma hora, mas nem foi na pista, foi subindo esse “bondinho” aí!

Farellones é um charme e tem opções econômicas como o Hostel Lodge Andes. Além disso é muito fácil ir de Farellones para os outros centros de esqui. Clique aqui para saber mais sobre Farellones.

Farellones
O Lodge Andes é um achado econômico no meio de Farellones. Lá de cima da sacada dá pra ver o vale onde fica Santiago. O pôr do sol é matador!
12) Caminhar pela Paseo Ahumada

A Paseo Ahumada é a rua mais ativa e comercial do centro de Santiago, ficando entre as famosas Calle Plaza de Armas e a Alameda del Libertador Bernardo O’Higgins.

Paseo Ahumada
O Acesso da Paseo Ahumada é apenas para pedestres (skyscrapercity.com).

Paseo Ahumada Antigo Hotel Crillón

Na Paseo Ahumada com a Calle Agustinas encontram-se as casas de câmbio com as melhores cotações. Ainda ali por perto tem as charmosas ruas com arquitetura dos anos 20: Calle Nueva York, Calle Londres e Calle Paris.

13) Fazer Compras no Barrio Patronato

Levanta a mão quem também ama fazer comprinhas super baratas enquanto viaja! Levantou? Então o bairro Patronato merece a sua visita!

Em Santiago, o Patronato é o ponto de vendas mais reconhecido da região. O bairro é cheio de lojas variadas e ambulantes com preços super econômicos. A dica é ir com tempo para bater perna e escolher as melhores lojinhas.

14) Conhecer o Mercado Central de Santiago

O Mercado Central de Santiago é considerado pela National Geographic o 5º Melhor Mercado do Mundo.

Localizado em um prédio histórico do ano de 1872, o Mercado tem como especialidade pratos à base de frutos do mar, como por exemplo o famoso caranguejo gigante – a centolla.

Mercado Central de Santiago
Um pedacinho do Mercado Central de Santiago: toda sua estrutura metálica foi desenhada no Chile e fabricada na Inglaterra (kingstonvineyards.files.wordpress.com).

Além de explorar os sabores do Oceano Pacífico, o Mercado Central de Santiago também é rico em cultura popular e exibe uma grande variedade de produtos: frutas, artesanato e ótimos vinhos chilenos.

A parada é obrigatória, mas cuidado com a exploração (principalmente no restaurante Donde Augusto)!

Os preços cobrados no local são bem mais altos do que em outros estabelecimentos. Se o orçamento estiver apertado, passe por lá apenas para conhecer.

15) Ir ao Observatório do Costanera Center

Com 300 metros de altura, o Costanera Center é o prédio mais alto de toda a América Latina.

Além do observatório Sky Costanera, o prédio abriga 200 pontos comerciais, supermercado, cinema, 4 andares de estacionamento e uma enorme praça de alimentação que acomoda até 2.000 pessoas.

Sky Costanera
Na minha ida à Santiago apreciei o Costanera Center apenas de longe. Já fiquei super impressionada com a sua grandiosidade, imaginem se tivesse subido todos os seus 327363 mil andares!
Sky Costanera
Depois da sua altura, o que mais impressiona é a maravilhosa vista de 360º graus. E eu pensando que Santiago ficava pequena vista de cima do Cerro San Cristóbal… (mall.costaneracenter.cl)





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *